Temas que gritam na contemporaneidade

A era digital nos deu um novo caminho para a liberdade, mas ainda precisamos aprender a diferença entre a livre expressão e a intolerância.

Velhos modelos derretem na era da liquidez teorizada por Zygmunt Bauman, mas muitas vezes ficamos perdidos em busca de modelos prontos.

Somos diferentes e temos múltiplos talentos, como já nos ensinou Howard Gardner, mas o respeito às diversidades humanas é ainda utopia.

A sexualidade é vivenciada com menos imposições, mas o tema ainda é rodeado de tabus, e o silêncio diante dele pode ser muito mais perigoso.

A Terra dá sinais de que não suporta mais a forma como utilizamos os bens naturais, mas ainda precisamos entender que somos apenas uma espécie em meio a tantas formas de vida, todos habitando um mesmo lar azul.

Entender e respeitar a si e aos outros, preservar e regenerar o meio, aprender na adversidade, construir uma sociedade colaborativa, aproveitar o poder das redes para inovar em convivência. São desafios que têm tudo a ver com o verbo educar.

Daí a importância de trabalharmos Desafios Contemporâneos em projetos educacionais e corporativos: para nos conectarmos com a complexidade que há tanto dentro de nós quanto no mundo lá fora; para podermos criar um mundo verdadeiramente melhor